Lidema. O que precisa de saber!

O lipedema é um alteração da distribuição da gordura corporal que que há uma deposição exagerada de gordura nas pernas, coxas e ancas. Em alguns casos também pode afectar os braços. Ocorre sobretudo em mulheres.


A causa é desconhecida, mas acredita-se que envolva factores genéticos e hormonais. Geralmente ocorre em famílias. O principal factor de risco é o excesso de peso ou obesidade. Estima-se que afecta até 11% das mulheres. O início geralmente ocorre durante a puberdade, gravidez ou menopausa.




Deve ser distinguido de outras causas do aumento do volume e inchaço das pernas, nomeadamente insuficiência venosa crónica (varizes dos membros inferiores) ou linfedema.



Como diagnosticar? Que sintomas provoca?


Manifesta-se desproporcionalmente em ambas as pernas e coxas, mas os pés (ou as mãos no caso de afectar o membro superior) não estão afectados. Ou seja a gordura não se deposita nos pés o que permite estabelecer a diferença para o linfedema ou a insuficiência venosa crónica. Há também uma maior propensão para aparecimento nódoas negras (equimoses). Associa-se a dor intensa ao toque.


O lipedema, ao contrário do linfedema ou da insuficiência venosa crónica é simétrico. O sinal de Stemmer é negativo.


É importante o diagnóstico diferencial com outras causas frequentes de edema e inchaço das pernas. O Ecodoppler Venoso dos Membros Inferiores permite avaliar a presença de insuficiência venosa crónica. O linfedema também pode ocorrer simultaneamente, pelo que a Linfocintigrafia pode ter utilidade na fase de avaliação inicial.


Tratamento


O lipedema é uma doença crónica, que não tem cura, e por isso acompanha toda a vida. No entanto é possível, através do diagnóstico precoce, instituir medidas de forma a minimizar o impacto no dia a dia e manter a qualidade de vida. A extensão e as possíveis consequências do lipedema podem ser influenciadas positivamente por uma terapia consequente que permitirá aliviar as queixas.


A dieta equilibrada, e o exercício físico contribuem para o controlo do peso e assim ajudam a diminuir o impacto da doença. No entanto a perda de gordura e volume nas áreas de lipedema pode não ter um efeito completo. O tratamento com medicamentos ou suplementos alimentares não tem eficácia.


A drenagem linfática manual, a terapia descongestiva combina e a compressão pneumática intermitente podem ajudar a reduzir o volume do membro, quando associadas a medidas de exercício físico e dieta.

Os tratamentos cirurgicos incluindo a lipoaspiração devem ser ponderados com um profissional habitado, de forma a pesar o risco e o benefício de qualquer procedimento invasivo.

0 views

Famalicão

arrow&v

©2019 by Dr. Vitor Ferreira.