Linfedema: O que é? Quais são as causas? Qual o tratamento indicado?



O que é o Linfedema?


O linfedema é uma doença crónica resulta da disfunção do sistema linfático com acumulação de linfa nos tecidos, provocando edema (ou inchaço).


Quando os vasos linfáticos sofrem uma lesão ou obstrução (por traumatismo, cirurgia, radioterapia, infecções, causas hereditárias...) a linfa deixa de ser drenada eficazmente e acumula-se. O sistema linfático tem diversas funções, incluindo a protecção dos tecidos contra infecções e também o controle do volume de líquidos das diversas partes do corpo.

A linfa é um líquido claro constituído por água, glóbulos brancos do sangue, proteínas e gorduras que foram filtradas pelos capilares, para o espaço extra-celular (o espaço entre as células). A linfa passa então para os vasos linfáticos, que são pequenos canais análogos em estrutura às veias e às artérias, circulando em direcção aos gânglios linfáticos. Quando ocorre alguma alteração nesse sistema o paciente pode apresentar inchaço localizado, espessamento, endurecimento e aumento de volume das estruturas, bem como uma maior facilidade para o desenvolvimento de infecções locais devido à diminuição da imunidade da região afectada.


O edema no linfedema tem características que o diferenciam do edema por outras patologias. Esse edema tem evolução lenta, muitas vezes demorando anos para se manifestar. Observa-se também espessamento da pele, descamação, rubor. que podem dar à pele um aspecto que lembra a casca de uma laranja. Devido à diminuição da função imunológica são frequentes as infecções de pele recorrentes, com vários episódios de erisipela.




O que é o Linfedema?


O linfedema resulta da acumulação de linfa nos tecidos, provocando edema (ou inchaço). Quando os vasos linfáticos sofrem uma lesão ou obstrução (por traumatismo, cirurgia, radioterapia, infecções, causas hereditárias...) a linfa deixa de ser drenada eficazmente e acumula-se.


A linfa é um líquido claro constituído por água, glóbulos brancos do sangue, proteínas e gorduras que foram filtradas pelos capilares, para o espaço extra-celular (o espaço entre as células). A linfa passa então para os vasos linfáticos, que são pequenos canais análogos em estrutura às veias e às artérias, circulando em direcção aos gânglios linfáticos.



Causas do linfedema


O linfedema surge quando o sistema linfático é incapaz de drenar adequadamente a quantidade de linfa produzida.


O linfedema é classificado como

  • Linfedema primário: alteração congénita, por vezes hereditária, que condiciona malformação no desenvolvimento causado pelo subdesenvolvimento do sistema linfático. Raramente é diagnosticado nos primeiros anos de vida. Manifesta-se sobretudo na adolescência, principalmente no sexo feminino. Muitas vezes afecta apenas um dos membros inferiores, mas em alguns casos pode ser bilateral.


  • Linfedema secundário: causado por uma lesão do sistema linfático (cirurgia, radioterapia, traumatismo). É mais frequente do que o linfedema primário. Os casos mais frequentes são o linfedema do membro superior após cirurgia por neoplasia da mama.


Quais são os sintomas?


  • Inchaço de parte ou todo o braço ou perna, incluindo dedos das mãos ou dos pé

  • Sensação de peso ou aperto ou pressão nas pernas

  • Restrição da amplitude de movimento

  • Dor ou desconforto

  • Infecções recorrentes

  • Endurecimento e espessamento da pele (fibrose)



A importância do diagnóstico precoce e tratamento adequado



O diagnóstico precoce é fundamental para permitir o tratamento adequado numa fase inicial da doença e evitar as consequências mais graves da doença.



O diagnóstico de linfedema baseia-se na avaliação clínica pelo médico, história pessoal e familiar e por vezes confirmação com exames auxiliares de diagnóstico. O exame mais útil é a linfocintingrafia (que é uma técnica de Medicina Nuclear com marcação de radioisótopos).


Poderá ser necessário também a avaliação e exclusão de outras causas de edema dos membros, com ecodoppler venoso e tomografia computadorizada (TAC) ou ressonância magnética (RMN).



Tratamento

O linfedema é uma doença crónica, que não tem cura. No entanto o tratamento adequado permite melhoria significativa da qualidade de vida, do volume do membro, a redução das infecções recorrentes e melhoria da estética. O tratamento engloba várias medidas terapêuticas que incluem:


  • Massagem de drenagem linfática

  • Exercício físico moderado

  • Meias ou mangas de compressão elástica

  • Compressão pneumática intermitente.

  • Prevenção de feridas e lesões cutâneas

  • Tratamento eficaz de infecções e erispelas

  • Prevenção e profilaxia de infecção




Agende a sua consulta de avaliação de linfedema. O médico Cirurgião Vascular é o especialista melhor capacitado para o diagnóstico e tratamento dos linfedemas.

67 views

Famalicão

arrow&v
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • LinkedIn Social Icon
  • ResearchGate
  • doctoralia

©2020 by Dr. Vitor Ferreira.